Informações sobre a Paróquia

Arquidiocese de Santa Maria de Belém do Grão Pará
Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Santuário de Fátima
CNPJ: 02.537.502/0001-81

Endereço: Rua Antonio Barreto, 2167 - Fatima
CEP: 6606-020 (Belém/PA - Brasil)
Email: santuariodefatimaf.belem@gmail.com
Telefones: (91) 3228-0864 / (91) 3226-0503

Horário de funcionamento para atendimento ao público
De Segunda a Sexta: 8h00 às 12h00 / 14h00 às 18h00
Sábado: 8h00 às 12h00

Santa Missa
Domingo: 6h45, 8h30, 17h30 e 19h30
Segunda a Sexta: 18h30
Sábado: 17h30

Pároco: Mons. Raimundo Possidônio Carrera da Mata
Vigário: Pe. Márcio José Sousa Motta

Páginas

█║▌│█│║▌║││█║▌║▌│║▌│█

© BlOG OFICIAL ®

CONVITE - JANTAR

Jantar dedicado às mães
# Festividade de Fátima 2013

Data: 10 de maio - Sexta feira

Hora: A partir das 20h00

Local: Fátima Recepções & Eventos

Valor da cartela: R$ 30,00

Cardápio: Filé, Camarão ou Peru

Atração musical: Ivana e kassio


Visitantes pelo mundo

AVISOS PAROQUIAIS

TERÇO DE RUA (CONTINUAÇÃO)
Dias: 27 e 28 de abril de 2013 - Sábado/Domingo
Hora: 19h30
Locais: Setores de Missão V e VI


SANTA MISSA E RETORNO DAS IMAGENS DE N. SRA. DE FÁTIMA - PEREGRINAÇÕES NAS FAMÍLIAS
Dia: 28 de abril de 2013 - Domingo
Hora: 17h30
Local: Santuário de Fátima


CELEBRAÇÕES PENITENCIAIS
Dias: 29 e 30 de abril de 2013 - Segunda/Terça
Hora: De 18h30 às 21h30
Local: Santuário de Fátima


FESTIVIDADE DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA 2013
DE 01 A 13 DE MAIO
"No ano da Fé: Quereis oferecer-vos a Deus?"

Cerimônia de Abertura dos festejos - 01 de maio
-17h00: Hasteamento das bandeiras do Brasil, Pará e Portugal na Praça do Santuário

-17h30: Procissão de Abertura

-19h00 (Aprox.): Santa Missa Solene presidida por Dom Vicente Zico, Arcebispo Emérito de Belém/PA.






Fonte: Calendário Paroquial 2013

Liturgia Diária - Leituras Bíblicas

sábado, 30 de abril de 2011

Divulgação do Roteiro das Procissões da Festividade de N. Sra. de Fátima 2011

PROCISSÃO DE ABERTURA
Dia: 01/05/11
Saída: As 17h30 do CEFAT
Roteiro: Av. Romulo Maiorana - Tv. Humaitá - Av. Visconde de Inhaúma - Tv. Curuzú - Av. Duque de Caxias e Santuário de Fátima (terminando com a Santa Missa Solene).



ROMARIA DA JUVENTUDE
Dia: 07/05/11
Saída: As 16h00 do CEFAT
Roteiro: Rua Antonio Barreto - Tv. Nove de Janeiro - Av. Marquês de Herval - Tv. do Chaco - Av. Duque de Caxias e Santuário de Fátima.



ROMARIA DAS CRIANÇAS
Dia: 08/05/11
Saída: As 7h30 do CEFAT.
Roteiro: Av. Romulo Mariorana - Tv. Curuzú - Av. Visconde de Inhaúma - Rua Antonio Baena - Av. Duque de Caxias e Santuário de Fátima (terminando com a Santa Missa).




ROMARIA MOTO-RODOVIÁRIA

Dia: 08/05/11
Saída: As 8h30 do CEFAT
Roteiro: Av. Duque de Caxias - Tv. Perebebui - Av. Almirante Barroso - Rod. Augusto Montenegro - Grêmio Recreativo e Literário Português.



PROCISSÃO DAS VELAS
Dia: 12/05/11
Saída: As 18h30 do Santuário de Fátima.
Roteiro: Rua Antonio Barreto - Av. Alcindo Cacela - Rua Domingos Marreiros - Tv. Castelo Branco - Rua Boaventura da Silva - Av. Duque de Caxias e Santuário de Fátima.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

MENSAGEM DO PÁROCO E DO VIGÁRIO PARA A FESTIVIDADE DE N. SRA. DE FÁTIMA 2011


Prezados irmãos e irmãs:

A Festividade de Nossa Senhora de Fátima 2011 traz como tema a Palavra de Deus. A Palavra de Deus tem um lugar central na nossa vida cristã, assim como foi na vida de Nossa Senhora. Deus se comunica conosco através de sua Palavra. Ela é dom, é graça, é força, é luz que ilumina nossos passos. Ela é caminho para a eternidade, a meta fundamental da nossa vida. Ela é o coração de toda a vida da Igreja.

Maria nos dá o exemplo de como viver a partir da Palavra de Deus: "Faça-se em mim segundo a tua Palavra" (Lc 1, 38). Toda a sua vida foi de obediência a Deus na escuta e na observância de sua Palavra, por isso ela a bem aventurada por excelência, tendo por isso, recebido um elogio de Santa Isabel: "Feliz daquela que acreditou acreditou que teriam cumprimento as coisas que lhe foram ditas da parte do Senhor" (Lc 1, 45), como também do próprio Filho: "Felizes os que escutam a Palavra de Deus e a põem em prática" (Lc 11,28). Maria alimentava sua fé dia e noite com a Palavra, por isso além de mãe e Filho na carne, foi mãe e membro de sua família no sentido mais profundo e divino: "Minha mãe, meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e põem em prática" (Lc 8,21).

Essa intimidade profunda com o Filho torna Maria intercessora, participante de sua missão na terra de modo integral, pleno. Isso fica muito claro no episódio conehcido como Bodas de Caná (Jo 2, 1-12) em que Maria expressando este conhecimento do Verbo de Deus feito carne nela, intercede e alcança o primeiro grande sinal de missão de Jesus entre nós: a água transformada em vinho.

Por tudo isso podemos ter a alegria de conviver com aquela que sendo a mãe da Palavra viva de Deus está bem perto de nós, nos escutando, intercedendo e nos orientando em nossa caminhada de Igreja. Sob este olhar tão terno e bondoso de nossa querida Mãe, façamos da festa deste ano um tempo de graça, de esperança e de alegria, para podermos superar nossas dificuldades como Paróquia e prosseguir nesta grande caminhada de evangelização que nossa Paróquia realiza.

Agradecemos a todos que desde muito tempo colaboram com a Festividade de Nossa Senhora de Fátima, tornando possível um dos grandes momentos da vida e da história de nossa Paróquia.

Que nossa Senhora alcance do céu muitas graças e bençãos para todos.



Mons. Raimundo Possidônio Carrera de Mata
Pároco


Pe. Ednaldo de Jesus Soares Ferreira
Vigário Paroquial

Apresentação da Diretoria da Festividade de N. Sra. de Fátima - 2011



Presidente: Dom Alberto Taveira Corrêa - Arcebispo Metropolitano de Belém

Diretor Presidente:
Mons. Raimundo Possidônio Carrera da Mata - Pároco

Diretor Vice-presidente: Pe. Ednaldo de Jesus Soares Ferreira - Vigário

Coordenação geral: Benedito Marques de Macedo & Merian Camppos de Macedo

Vice-coordenação: Antonio de Souza Neco & Lucicléia Neco

Secretaria: Graça Sousa & Maria de Fátima Pereira

Coordenação de Finanças: Francisco Edmar Cunha & Vera Lúcia de Carvalho Cunha

Coordenação de Arraial: Haroldo de Oliveira Souza & Maria do Perpétuo Socorro de Melo Souza

Coordenação de Procissão: Anderson Pinheiro

Coordenação de Marketing: Ronaldo Afonso Carvalho & Bárbara Forte

Coordenação de Liturgia: Maria Lindalva Tavares - Luiza Maria Saraiva

Coodenação de Patrimônio: José Joaquim de Rodrigues & Osley Maria Rodrigues

Coordenação de Eventos: Antonio Carlos da Silva Júnior & Graça Vilhena

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Escala das Pastorais, Grupos e Movimentos para a Adoração às Sagradas Reservas

5ªfeira Santa - 21 de abril de 2011
Após a Missa Vespertina da Ceia do Senhor

20h00 às 21h00

-Presbíteros
-Diáconos
-Irmãs Angélica
-Ministros da Eucaristia
-Coroinhas de Fátima
-Pastoral Catequética
-Equipes de Liturgia (A & B)
-Diretoria e Comissões da Festividade de Fátima 2011
-Pastoral do Dízimo


21h00 às 22h00


-Infância Missionária
-Vicentinos
-Grupo Servos do Coração de Jesus
-Apostolado da Oração
-Movimento Eucarístico Jovem
-Legião de Maria
-Grupo da Divina Misericórdia
-Acolhida


22h00 às 23h00

-Setores Missionários
-Comunidade Três Pastorinhos
-Movimento Serra de Fátima


23h00 às 24h00

-Guarda de Fátima
-Renovação Carismática Católica
-Grupo Jovens de Fátima

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Apresentação do Cartaz da Festividade de N. Sra. de Fátima 2011

Na Missa do dia 26 de março de 2011, às 18h30, dia da Solenidade da Apresentação do Senhor, foi a apresentado Comunidade Paroquial de Fátima o Cartaz da Festividade 2011. A celebração litúrgica foi presidida pelo nosso Pároco, Mons. Raimundo Possidônio (Mons. Cid). Após a celebração, foi oferecido um Coquetel aos membros da Diretoria da Festividade, realizado no Salão Fátima Recepções. Veja as fotos a seguir:

























Homilia do Papa Bento XVI na Missa do Domingo de Ramos



CIDADE DO VATICANO, domingo, 17 de abril de 2011 (ZENIT.org)

Apresentamos a homilia que o Papa pronunciou neste domingo na Missa de Ramos, celebrada na Praça de São Pedro:

Amados irmãos e irmãs,

Queridos jovens!

A mesma emoção se apodera de nós em cada ano, no Domingo de Ramos, quando subimos na companhia de Jesus o monte para o santuário, quando O acompanhamos pelo caminho que leva para o alto. Neste dia, ao longo dos séculos por toda a face da terra, jovens e pessoas de todas a idades aclamam-n’O gritando: «Hossana ao Filho de David! Bendito o que vem em nome do Senhor!».

Mas, quando nos integramos em tal procissão – na multidão daqueles que subiam com Jesus a Jerusalém e O aclamavam como rei de Israel –, verdadeiramente o que é que fazemos? É algo mais do que uma cerimónia, do que um louvável costume? Porventura terá a ver com a verdadeira realidade da nossa vida, do nosso mundo? Para encontrar a resposta, temos antes de mais nada de esclarecer o que é que o próprio Jesus realmente quis e fez. Depois da profissão de fé que Pedro fizera em Cesareia de Filipe, no extremo norte da Terra Santa, Jesus encaminhara-Se como peregrino na direcção de Jerusalém para as festividades da Páscoa. Caminha para o templo na Cidade Santa, para aquele lugar que, de modo particular, garantia a Israel que Deus estava próximo do seu povo. Caminha para a festa comunitária da Páscoa, memorial da libertação do Egipto e sinal da esperança na libertação definitiva. Jesus sabe que O espera uma Páscoa nova, e que Ele mesmo tomará o lugar dos cordeiros imolados, oferecendo-Se a Si mesmo na Cruz. Sabe que, nos dons misteriosos do pão e do vinho, dar-Se-á para sempre aos seus, abrir-lhes-á a porta para um novo caminho de libertação, para a comunhão com o Deus vivo. Ele caminha para a altura da Cruz, para o momento do amor que se dá. O termo último da sua peregrinação é a altura do próprio Deus, até à qual Ele quer elevar o ser humano.

Assim, a nossa procissão de hoje quer ser imagem de algo mais profundo, imagem do facto que nos encaminhamos em peregrinação, juntamente com Jesus, pelo caminho alto que leva ao Deus vivo. É desta subida que se trata: tal é o caminho, a que Jesus nos convida. Mas, nesta subida, como podemos andar no mesmo passo que Ele? Porventura não ultrapassa as nossas forças? Sim, está acima das nossas próprias possibilidades. Desde sempre – e hoje ainda mais – os homens nutriram o desejo de «ser como Deus»; de alcançar, eles mesmos, a altura de Deus. Em todas as invenções do espírito humano, em última análise, procura-se conseguir asas para poder elevar-se à altura do Ser divino, para se tornar independentes, totalmente livres, como o é Deus. A humanidade pôde realizar tantas coisas: somos capazes de voar; podemos ver-nos uns aos outros, ouvir e falar entre nós dum extremo do mundo para o outro. E todavia a força de gravidade que nos puxa para baixo é poderosa. A par das nossas capacidades, não cresceu apenas o bem; cresceram também as possibilidades do mal, que se levantam como tempestades ameaçadoras sobre a história. E perduram também os nossos limites: basta pensar nas catástrofes que, nestes meses, afligiram e continuam a afligir a humanidade.

Os Padres disseram que o homem está colocado no ponto de intersecção de dois campos de gravidade. Temos, por um lado, a força de gravidade que puxa para baixo: para o egoísmo, para a mentira e para o mal; a gravidade que nos rebaixa e afasta da altura de Deus. Por outro lado, há a força de gravidade do amor de Deus: sabermo-nos amados por Deus e a resposta do nosso amor puxam-nos para o alto. O homem encontra-se no meio desta dupla força de gravidade, e tudo depende de conseguir livrar-se do campo de gravidade do mal e ficar livre para se deixar atrair totalmente pela força de gravidade de Deus, que nos torna verdadeiros, nos eleva, nos dá a verdadeira liberdade.

Depois da Liturgia da Palavra e logo no início da Oração Eucarística, durante a qual o Senhor entra no meio de nós, a Igreja dirige-nos este convite: «Sursum corda – corações ao alto!». O coração, segundo a concepção bíblica e na visão dos Padres, é aquele centro do homem onde se unem o intelecto, a vontade e o sentimento, o corpo e a alma; é aquele centro, onde o espírito se torna corpo e o corpo se torna espírito, onde vontade, sentimento e intelecto se unem no conhecimento de Deus e no amor a Ele. Este «coração» deve ser elevado. Mas, também aqui, sozinhos somos demasiado frágeis para elevar o nosso coração até à altura de Deus; não somos capazes disso. É precisamente a soberba de o podermos fazer sozinhos que nos puxa para baixo e afasta de Deus. O próprio Deus tem de puxar-nos para o alto; e foi isto que Cristo começou a fazer na Cruz. Desceu até à humilhação extrema da existência humana, a fim de nos puxar para o alto rumo a Ele, rumo ao Deus vivo. Jesus humilhou-Se: diz hoje a segunda leitura. Só assim podia ser superada a nossa soberba: a humildade de Deus é a forma extrema do seu amor, e este amor humilde atrai para o alto.

O salmo processional 24, que a Igreja nos propõe como «cântico de subida» para a liturgia de hoje, indica alguns elementos concretos, que pertencem à nossa subida e sem os quais não podemos ser elevados para o alto: as mãos inocentes, o coração puro, a rejeição da mentira, a procura do rosto de Deus. As grandes conquistas da técnica só nos tornam livres e são elementos de progresso da humanidade, se forem acompanhadas por estas atitudes: se as nossas mãos se tornarem inocentes e o coração puro, se permanecermos à procura da verdade, à procura do próprio Deus e nos deixarmos tocar e interpelar pelo seu amor. Mas todos estes elementos da subida só serão úteis, se reconhecermos com humildade que devemos ser puxados para o alto, se abandonarmos a soberba de querermos, nós mesmos, fazer-nos Deus. Temos necessidade d’Ele: Deus puxa-nos para o alto; permanecer apoiados pelas suas mãos – isto é, na fé – dá-nos a orientação justa e a força interior que nos eleva para o alto. Temos necessidade da humildade da fé, que procura o rosto de Deus e se entrega à verdade do seu amor.

A questão de saber como pode o homem chegar ao alto, tornar-se plenamente ele próprio e verdadeiramente semelhante a Deus, desde sempre ocupou a humanidade. Foi objecto de apaixonada discussão pelos filósofos platónicos dos séculos terceiro e quarto. A sua pergunta central era esta: como encontrar meios de purificação, pelos quais o homem pudesse libertar-se do gravoso peso que o puxa para baixo e elevar-se à altura do seu verdadeiro ser, à altura da divindade. Santo Agostinho, na sua busca do recto caminho, durante um certo período procurou apoio em tais filosofias. Mas, no fim, teve de reconhecer que a sua resposta não era suficiente, que ele, com tais métodos, não chegaria verdadeiramente a Deus. Disse aos seus representantes: Reconhecei, pois, que não basta a força do homem e de todas as suas purificações para o levar verdadeiramente à altura do divino, à altura que lhe é condigna. E disse que teria desesperado de si mesmo e da existência humana, se não tivesse encontrado Aquele que faz o que nós mesmos não podemos fazer, Aquele que nos eleva à altura de Deus, apesar da nossa miséria: Jesus Cristo, que desceu de junto de Deus até nós e, no seu amor crucificado, nos toma pela mão e nos conduz ao alto.

Com o Senhor, caminhamos, peregrinos, para o alto. Andamos à procura do coração puro e das mãos inocentes, andamos à procura da verdade, procuramos o rosto de Deus. Manifestamos ao Senhor o desejo de nos tornar justos e pedimos-Lhe: Atraí-nos, Vós, para o alto! Tornai-nos puros! Fazei que se cumpra em nós a palavra do salmo processional que cantamos, ou seja, que possamos pertencer à geração dos que procuram Deus, «que procuram a face do Deus de Jacob» (Sal 24/23, 6). Amém.


[Copyright 2011 - ©Libreria Editrice Vaticana]




__________________________________

Fonte: Blog do Salvem a Liturgia
http://www.salvemaliturgia.com/

domingo, 17 de abril de 2011

Domingo de Ramos da Paixão do Senhor

Em latim: Dominica in Palmis de Passione Domini

"Hosanna filio David:
benedictus qui venit in nomine Domini.
Rex Israel: Hosanna in excelsis."

"Hosana ao Filho de Davi!
Bendito aquele que vem em nome do Senhor.
Rei de Israel: Hosana nas alturas."


+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Pontos de reflexão

"Levaram o jumentinho a Jesus, colocaram os próprios mantos sobre ele, e Jesus montou. E muitas pessoas estenderam seus mantos pelo caminho; outros puseram ramos que haviam apanhado nos campos. Os que iam na frente e os que seguiam gritavam: "Hosana! Bendito seja o reino que vem, o reino de nosso pai Davi! Hosana no mais alto do céu!" (Mc 11, 7-10)




1-Abertura da Semana Santa

Jesus está para concluir a obra que o Pai lhe confiou. É a hora do confronto final com o sistema que não aceita o seu projeto. Projeto de justiça, partilha, fraternidade e vida em abundância para todos. Pela coerência de vida e fidelidade aos planos do Pai, Jesus é vítima da sociedade que o rejeita. Caminha consciente para a morte, solidário até o fim com a humanidade que Ele veio salvar.

Os dois aspectos da celebração de hoje, a saber, a entrada de Jesus em Jerusalém e a missa da Paixão do Senhor, dão um caráter de antecipação figurada da Páscoa: as multidões aclamam o Cristo vencedor em sua Paixão.

A celebração do mistério pascal, isto é, da paixão, morte e ressurreição de Jesus, desenrola-se ao longo da "grande semana" do ano litúrgico, a Semana Santa.

Convém lembrar que o mistério pascal não é uma realidade encerrada no passado. A celebração eucarística o torna presente e vivificante. Ele acontece para nós hoje, aqui e agora. Por isso, exige de nós uma participação consciente e ativa.


2- Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém

Jesu entra na cidade e é aclamado com rei. Apresenta-se como homem simples, humilde e pacífico. Ele salvará o povo não por meio da violência e do sacrifício de vidas humanas, mas com a doação de sua própria vida. Ele é o Rei-Messias que traz a verdadeira justiça e a paz.


3-O Povo faz Festa

Em sinal de reconhecimento e gratidão pelas maravilhas que Jesus havia realizado, o povo o aclama com ramos nas mãos e com mantos estendidos à sua passagem. As autoridades, no entanto, consideram Jesus um tropeço. Sentem-se, pois estimuladas a aproveitar a ocasião para acabar com a vida dele.

À semelhança dos contemporâneos de Jesus, que o acolheram com júbilo e festa, nós também renovamos nossa disposição para assumir o projeto do Cristo libertador.


4-Seguir os passos de Jesus

Esse aspecto está bem presente na breve exortação do início da celebração: "Irmãos e irmãs... hoje aqui nos reunimos e vamos iniciar, com toda a Igreja, a celebração da Páscoa de nosso Senhor. Para realizar o mistério de sua morte e ressurreição, Cristo entrou em Jerusalém, sua cidade. Celebrando com fé e piedade a memória desta entrada, sigamos os passos de nosso Salvador para que, associados pela graça à sua cruz, participemos também de sua ressurreição e de sua vida".



________________________________________________

Fonte: Livro Semana Santa - Preparar e Celebrar
Pe. Luiz Miguel Duarte
Editora Paulus - 2004

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Peregrinações em honra de N. Sra. de Fátima nas Empresas sai nos jornais de Belém

Jornal O Liberal - 05 de abril de 2011




Jornal Diário do Pará - 13 de abril de 2011

A Festividade de Fátima 2011: "Maria, ensina-nos a escutar e anunciar a Palavra do Senhor"

A Paróquia N. Sra. de Fátima, iniciou neste mês de abril, a preparação para a grande Festa de sua Padroeira.

No dia 04 de abril, às 17h00 no Centro de Convenções da Amazônia (Hangar, aconteceu o início das Peregrinações com a Missa celebrada pelo Pároco do Santuário de Fátima, Mons. Raimundo Possidônio.

As Peregrinações em Família e e nas Empresas, constitui um momento forte de evangelização,uma oportunidade para todos nós, missionários de responsabilidade ao envio de Jesus: "Ide por todo o mundo e proclamai o evangelho a a toda a criatura" (Mc 16,15).

Após este período de preparação a Festividade acontecerá no período de 01 a 13 de maio, com uma vasta programação (Ver calendário litúrgico e cultural da Festividade 2011).

Ao celebramos a nossa devoção mariana nas homenagens que faremos a Nossa Senhora, somos convidados a nos envolvermos cada vez mais com Jesus e com sua Igreja, pois todo devoto de Nossa Senhora reconhece Nela um modelo de discipulado e missão.

O tema da Festividade deste ano "Maria, ensina-nos a escutar e anunciar a Palavra do Senhor" nos convoca a ouvir e entender a voz de Deus. E mais do que iss, dizer sim ao seu chamado, sendo anunciados de sua Palavra e assim dia após dia,ser mais discípulos e mais missionários.

Veja algumas fotos da Missa que foi realizada no Hangar, às 17h00 no dia 04 de abril. O Celebrante foi o Mons. Cid, nosso Pároco:
























No dia 12 de abril foi realizada uma Missa no Prédio da Rede Brasil Amazônia (RBA), às 17h00. O nosso Pároco, Mons. Cid, foi o Celebrante. Veja as fotos:















Fotos: Rayane Tavares (Pastoral da Guarda de Fátima)
Texto: Equipe de Liturgia da Festividade

Nossa Área de Jurisdição Paroquial

Nossa Área de Jurisdição Paroquial

Nosso Sistema

Nosso Sistema

Seja Dizimista de nossa Paróquia!

Seja Dizimista de nossa Paróquia!